Reserva mundial de surf em Portugal

Reconhecida como a primeira reserva mundial de surf na Europa, a simples vila de pescador de Ericeira, hoje é uma das mecas dos surfistas de todo o mundo.

As características do mar e da costa, com a alternância de penhascos e pequenas enseadas arenosas, a preservação dos habitats naturais do Mediterrâneo e a cultura do surf que aqui se respira, fez com que a cidade se tornasse uma das metas preferidas para a frequência dos surfistas.

A área costeira que a organização americana Save the Waves Coalition reconheceu como a 1ª reserva mundial de surf na Europa e a 2ª no mundo, se estende por 8 km e inclui praias que são um ponto de referência global para praticar este esporte.

Mundial de surf

No entanto, Ericeira não é visitada apenas por sufistas, pois oferece também praias calmas de grande beleza e a cidadezinha é uma gracinha, com suas ruas estreitas e atmosfera acolhedora, é um lugar onde o espírito do litoral respira ao longo do ano e está preparada para receber visitantes do mundo inteiro.

Ericeira-regiões de Portugal

A praia mais próxima do centro da cidade é a mais abrigada, por isso recomendo a quem viaja com crianças. Outra praia familiar é Foz do Lizandro, a uma curta distância.

Praias de Ericeira

Praias de Ericeira

Mas se for o surf a levá-lo à Ericeira, seja para pegar umas aulas, para participar de um mundial de surf, ou para encontrar as condições ideais para praticar seu esporte favorito, você só terá o embaraço da escolha. As praias mais populares para surfistas em torno de Ericeira são Ribeira de Ilhas, São Lourenço, Baía dos Dois Irmãos (também conhecida como Coxos) e Empa. Ribeira de Ilhas, Coxos e São Lourenço são recomendadas para surfistas experientes, bem como Pedra Branca, Recife, Ribeira d’Ilhas, Caverna e Crazy Left.

mundial de surf

Ericeira – Reserva mundial de surf

Ericeira fica a 50 km de Lisboa, 25 de Sintra e é província de Mafra, que está a 10 km. O clima é temperado com temperaturas de verão moderadas de 21 graus, com musgos matutinos que cessam ao meio-dia. O inverno, não rígido, vê janeiro e fevereiro como meses mais frios.

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), milhares de refugiados da guerra na Europa chegaram a Portugal, particularmente a Lisboa, mudando-se para os EUA e para a liberdade. Aqueles que não conseguiram chegar à América acabaram ficando em Portugal, dos quais 3000 permaneceram em Ericeira, causando naturalmente mudanças no modo de vida e os costumes desta cidade tranquila. Moda, gastronomia, novos usos do dia a dia, mulheres fumando e tomando café e bebendo chá da tarde, a difusão do rádio, entre outras coisas, mudaram profundamente a mentalidade tradicional local e prepararam as pessoas para os novos tempos, ao lado da hospitalidade tradicional, uma maior abertura mental.

A harmonia da “vila velha” com suas ruas estreitas pavimentadas de pedra, monumentos singulares, pequenas casas brancas com portas e janelas azuis, gastronomia, mar, pesca, paisagens de sonhos, infra-estruturas turísticas, combinam em uma forma singular para receber o visitante. Mesmo o ambiente circundante, caracterizado por pequenas aglomerações, onde é viva a tradição rural, em uma paisagem de vales profundos e montanhas altas, representa um complemento e um contraste que vale a pena descobrir.

Bate e volta de Lisboa-Ericeira

Passei um dia na cidade no mês de agosto com minha família e gostamos muito. A viagem de bate e volta de Lisboa de carro até as praias de Ericeira é bem agradável, passando por cidadezinhas costeiras e pegando lindos panoramas. Não faz muito calor no lugar, então mesmo que esteja muito quente em Lisboa, aqui você vai sentir uma brisa fresquinha, porque tem sempre bastante vento. Portanto, leve uma blusinha mais quente para se cobrir em alguns pontos altos.

Surf na Europa

A gastronomia portuguesa é ótima em praticamente todas as regiões de Portugal. Nós almoçamos num ótimo restaurante no centro da cidade. A comida era fresca e deliciosa. Aqui eu experimentei o melhor vinho verde do mundo! Não sou uma grande conhecedora de vinho verde (por enquanto), mas já experimentei vários e até agora nenhum bate aquele desse restaurante. A coisa chata, é que o vinho é exclusivo e eles não contam o nome do produtor. Fiquei muito triste com isso, mas paciência, significa que vou ter que voltar lá muitas vezes para tomar o vinho verde da casa.

gastronomia portuguesa

RESERVE SEU HOTEL AQUI

PARA ACOMPANHAR KEVIAGEM NAS REDES SOCIAIS

SIGA NO FacebookInstagramTwitterPinterestYoutube e Google+

Damares está dentro do mundo de viagens desde 1987. Morou em Milão de 1990 a 2014, quando se transferiu para cidade de Colônia, na Alemanha. No momento vive na linda região de Lisboa, pertinho do mar! Aproveita sempre da facilidade de viajar pela Europa, conhecendo vários países nesse maravilhoso continente!

contato1@keviagem.com

Nenhum Comentário

Deixe Um Comentário