Montevecchia: colina, gastronomia e mistério

Fazendo um bate e volta de Milão de apenas 30 minutos, você vai chegar em Montevecchia, uma cidadezinha conhecida apenas pelos residentes.

Eu e minha família aproveitamos de um dia de feriadão em plena quinta-feira (25 de abril) com muito sol para passar o dia em Montevecchia.  Quando o sol começa a aparecer e a temperatura começa a subir, os milaneses saem de casa e invadem parques, colinas e lagos, belezas que se encontram nos arredores de Milão.

Estamos indo lá pra cima. Santuário de Beata Vergine di Carmello

bate e volta de Milão

Montevecchia  está situada a 479 m do nível do mar, é uma pequena cidade da Brianza, região muita rica da Lombardia, no municipio de Lecco (região de lagos). Está apenas a 37km de Milão, é um dos muitos lugares que os milaneses gostam de ir pra curtir um pouco de verde sem precisar percorrer muitos quilômetros.

O centro histórico da cidade é muito pequeno, não tem muito pra ver, mas o lugar é conhecido como “Os terraços da Brianza”, por ter uma das mais bonitas posições da Brianza, com vários lugares de onde pode-se pegar panoramas bem bacanas, por isso o nome“terraços”.

Nos arredores de Milão

Nos arredores de Milão

bate e volta de Milão

Montevecchia

Encontra-se no parque regional de Montevecchia e do Valle de Curone. No ponto mais alto do lugar, surge o santuário da Beata Vergine de Carmello (503m), de origem medieval.

Escadas para chegar ao santuário

Santuário

Santuário Beata Vergine del Carmello

Santuário Beata Vergine del Carmello

A igreja original era dedicada a São João Batista, em 1570 um incêndio devido à “negligência do pároco”, foi totalmente destruída. Por quase um século as missas foram feitas na capela de San Bernardo, até 1630, quando o templo foi reconstruído, mas em um tamanho menor do que o atual, somente na metade de 1700 ela foi completamente ampliada, como a vemos hoje.

Santuário Beata Vergine del Carmello

Em 1924 o atual santuário foi dedicado a Beata Vergine del Carmelo, e consagrado em novembro de 1954 pelo cardeal Schuster.

Vista a partir do Santuário

Vista a partir do Santuário

Vista a partir do Santuário de Montevecchia

Vista a partir do Santuário

Montevecchia

Olha só que lugarzinho sugestivo!  Com uma vista muito legal do vale. Não é bem um restaurante, mas um lugar onde é possível comer bons frios e queijos com vinho. Conversando com a proprietária, ela me contou que estavam com todos os lugares reservados. Sinal que come-se bem!

Montevecchia

restaurante na colina na Itália

Meu marido com o seu lado alemão, já tinha reservado uma semana atrás na Trattoria da Pasqualino, ainda bem, porque o restaurante estava lotado. O restaurante é de gestão familiar, tudo feito por eles e fresco. Almoçamos no terraço apreciando o visual do lugar, mesmo se o panorama não era tão perfeito quanto ao da foto acima, o ambiente e a comida eram ótimos!!!
O pessoal é super gentil e preparado, e os pratos muito bem elaborados com opções apetitosas: Risoto com linguiça, Polenta, Brasato di Cervo (carne assada de veado), Risotto de funghi porcini, Ravioli e doces de dar água na boca.

Começamos com uma entrada de frios, que na Itália se diz “antipasto”.

frios italiano

Eu e Nicky (meu marido), escolhemos o Risotto ai funghi porcini, Sofia (nossa filha), pediu Gnochetti Verdi al Gorgonzola (nhoque). Os dois pratos estavam deliciosos!

Risoto de Funghi                                                        Gnochetti Verdi al Gongorzola
risoto com linguiça     gastronomia iataliana

E toda essa delicia acompanhada com um bom vinho Barbera D’Asti do Piemonte

vinho Barbera

Chegou o momento mais esperado por minha filha, a sobremesa, todas as três eram fabulosassssssssss!

Panna Cotta al Chocolate (Sofia)                       Crostata al Lampone (Nicky)

gastronomia italiana     gastronomia italiana

Esta sobremesa merece uma foto especial, uma das melhores que já comi na minha vida. Fabulosa!!!

Torroncino al Lampone (Damares)

doce italiano

Agora pasmem para o total da conta, apenas 70 euros em três, 23,33 por pessoa, fantástico!
Isso é para você saber que nem sempre é necessário comer em restaurantes chics e famosos, porque pode-se comer bem pagando preços decentes, mas claro, precisa saber onde, porque não é assim fácil saber qual o restaurante certo.

Nós três felizes e satisfeitos!!!

passeio na colina

Saindo do restaurante fomos caminhar um pouco para fazer a digestão e apreciar ainda mais a natureza e o panorama do lugar, depois de nos deliciar com a gastronomia local.

A nossa cachorrinha Bijoux também veio conosco, o restaurante aceita cachoro pequeno. Nós a levamos para todos os lugares que aceitam cachorro, afinal, ela faz parte da família.

arredores de Milão

arredores de Milão

bate e volta de Milão

Um “mistério” caracteriza, entre outras coisas, o território circundante de Montevecchia: três colinas modeladas, removendo a rocha que em forma, tamanho e posição são idênticos aos das mais famosas pirâmides egípcias de Quéops, Quéfren e Miquerinos. Elas permaneceram escondidas por milhares de anos, cobertas por vegetação densa que não facilitava a identificação, mas em 2001, graças a fotografias aéreas e pesquisas de um arquiteto que amava a história local, vieram à luz.

Três montes de terra alinhadas, três colinas não muito altas, antigas e misteriosas. De fato, as pesquisas mostraram que, como as pirâmides do planalto de Gizé, também para as pirâmides de Montevecchia, há uma relação numérica ligada às estrelas do cinturão de Orion. As colinas são três e são colocados em um eixo oblíquo de noroeste para sudeste, viradas de noventa graus em sentido horário respeito as homólogas egipcianas,  mas que, no entanto, a proporção e a posição de uma em relação as outras é igual. A única diferença é que, enquanto no Egito as pirâmides são feitas de blocos de pedra montados por escravos,  em  Montevecchia as estruturas parecem ter sido obtidos por modelagem das colinas e removendo o excesso de material.

Peguei esta foto da internet pra dar uma idéia das pirâmides, porque somente tirada do alto é mais evidente sua formação

misterio

A subida que leva a Montevecchia é muito frequentada pelos ciclistas e apaixonados de cisclismo. É uma subida meio difícil, com pouco mais de 2km, meu marido faz quase sempre esse percurso em mountain bike, aja resistência!
Para os amantes de trekking, é também um lugar ótimo, com caminhos que partem do Parque de Monza até aqui.

 

Damares está dentro do mundo de viagens desde 1987. Morou em Milão de 1990 a 2014, quando se transferiu para cidade de Colônia, na Alemanha. No momento vive na linda região de Lisboa, pertinho do mar! Aproveita sempre da facilidade de viajar pela Europa, conhecendo vários países nesse maravilhoso continente!

contato1@keviagem.com

Comentários
  • Damares Lombardo

    Olá Damares! Não sei se lembra-se de mim, sou filha da Adriane e morei em Milão com Eliana e família.. Adorei esse post! Muito lindo e interessante o lugar! A Sofia cresceu muito, está linda! Estou adorando acompanhar o blog! Beijo!

    26 de abril de 2013
  • Damares Lombardo

    Damares, que lugar gracinha, nem sabia que tinha colinas assim tão bonitas perto de Milão. Moro em Paris, em breve estarei passeando por ai. Parabéns pelo blog.
    Fabi

    27 de abril de 2013
  • Damares Lombardo

    Oi, Damares. Tudo bem?

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.

    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

    2 de maio de 2013

Deixe Um Comentário