Nápoles em um dia

Esta viagem a Nápoles em um dia, faz parte do post “Vem curtir esta viagem comigo“, onde contei que tinha sido convidada por algumas organizações turísticas para visitar alguns lugares aqui na Itália, e que iria contar os destinos, somente quando estivesse fazendo a viagem, seria uma surpresa a cada dia. Irei dividir com você dia por dia da minha viagem através dos posts.

Meu marido está me acompanhando nessa viagem. Saimos de Milão hoje as 10h com 4°C e com uma super neblina,  pensei até que o avião não iria levantar vôo, mas ainda bem que deu tudo certo!

Aproveitando da viagem que faremos na cidade de Castellamare di Stabia para conhecer um hotel, decidimos visitar Nápoles em um dia. Seu centro histórico é grande, mas é bem servido com os meios de transportes podendo se locomover facilmente de um lugar pro outro.

Chegamos na cidade as 11h20 com 14°C, que maravilha, clima de primavera, e ainda por cima com direito a um sol bem gostoso. Na verdade, meu tour de visitas, começa dia 21, amanhã, mas eu preferi chegar hoje 20/11 para ter um dia livre e conhecer um pouquinho de Nápoles, já que estaria hospedada em um hotel que se encontra somente a 30 minutos de distância. Que bom poder curtir a cidade como eu gosto, pegando ônibus, caminhando, entrando nas ruelas e nos becos.

Deixamos as malas em um guarda volumes no aeroporto (6 euros por 24 horas), e pegamos o ônibus para o centro da cidade. O ônibus se encontra na saída do aeroporto, é o numero 2, custa 3 euros (compramos o bilhete diretamente com o motorista) e o percurso dura uns 15 minutos, parando apenas em 2 pontos, na estação de trem e em frente ao jardim do Palácio Real. E’ muito conveniente e custa bem menos de um táxi. Deixamos as malas no aeroporto porque iríamos voltar para pegar o ônibus para ir para cidade onde estava nosso hotel.

Chegamos no centro e começamos nossa caminhada, que no total do dia, deu uns 7 km. Meu primeiro impacto com a cidade foi algo meio assustador, o ônibus entrou nas ruas do centro sem respeitar as faixas de pedestres, e a maioria das pessoas no volante, não respeitavam os semáforos. O trânsito era algo inexplicável, nem mesmo no Brasil eu vi uma coisa do tipo.

Muitas lojas abrem aos domingos até as 14h e tem também um mercado, pode imaginar a confusão de gente que tinha pelas ruas. Ainda bem que o ponto que descemos estava numa parte mais tranquila do centro. Depois de caminhar um pouco, começamos a nos deparar com monumentos arquitetônicos de grande beleza e, claro, nos encantamos. Visitar Nápoles em um dia não é suficiente para conhecer todas suas atrações, mas consegui ver bastante coisa. Por sorte meu marido já tinha passado pela cidade algumas vezes e assim ficou tudo mais fácil.

Nápoles tem muitas faces, é o resultado de uma história secular, podemos constatar isso através de suas ruas, igrejas, palácios e castelos. A cidade oferece muito e, para explora-la bem, é preciso passar uns 3 dias por aqui, infelizmente eu não podia dedicar todo esse tempo no local, porque minha viagem tinha outra direção.

Os lugares para conhecer são muitos: Palácio Real, Praça Plebiscito, Monte Echia, o misterioso Castelo do Ovo, o Porto de `Mergellina, o bairro chic de Chiaia, a colina de Posillipo, a ilha de Nisida, a galeria Umberto I e muito mais. Estas são apenas algumas das muitas atrações que a cidade oferece.

Nápoles é a cidade dos vestidos pendurados nas janelas, apesar de ser um panorama presente em todo o país, aqui é mais marcante.

É a terceira cidade mais populosa da Itália após Roma e Milão, é conhecida mundialmente pela sua história e por ser a terra natal da pizza.

(clique nas fotos para ampliar)
 

Roteiro de Nápoles em um dia

Nossa primeira visita foi na  Galeria Umberto I, é um dos edifícios mais impressionantes em seu estilo na Itália por sua construção em ferro e vidro e proporções magníficas. Sua construção, decidida após a epidemia de colera de 1884, entrou no programa geral para a renovação urbana, muito densamente povoada e pouco sadia.
A galeria é caracterizada por uma cobertura transparente de estrutura de ferro, com uma cúpula de 57 metros e meio, definido como um octagono de 36 metros. Não pode passar despercebido seu piso feito todo de mármore.

Galeria Umberto I                                                                         Galeria Umberto I
 

Seguimos para a Praça do Plebiscito, é a rainha de todas as praças da cidade, onde acontecem shows e encontros entre os residentes, é uma das metas obrigatórias para os turista. Nela encontra-se o Palácio Real, construído no final do século XVI para receber a visita do rei Filippo da Espanha, substituindo o Palácio Velho, edifícado na primeira metade do período de 1500.

Praça Plebiscito                                                                           Palácio Real
 

Palácio Real                                                                                

 

Começamos a descer em direção ao Maschio Angioino. Foi um belíssimo castelo e centro cultural frequentado por artistas como Giotto e leterarios como Petrarca, sucessivamente se transformou em um forte muito potente. Tem uma interessante história das prisões localizadas no porão, de onde desapareciam inexplicavelmente prisioneiros. Só mais tarde foi descoberto que um crocodilo penetrava nos subterrâneos através de uma abertura e que transportava para o mar os prisioneiros. Atualmente é sede do museu cívico, e no verão acontecem shows e eventos culturais.

Maschio Angioino                                                                            Maschio Angioino
 

Não conseguimos ir à Certosa de San Martino, mas ela é muito visível do centro de Nápoles, porque se encontra em uma colina. Foi fundada em 1325 por Charles, duque da Calábria, que a queria em uma posição alta da cidade, ao lado do castelo de Belforte (Castel S. Elmo).

Certosa de San Martino

Por volta das 13h, seguimos em direção ao Corso Umberto I para comer a pizza mais famosa do mundo “Antica Pizzeria da Michele”, que está numa travessa desse corso que é também a rua do shopping (compras) da cidade.

Corso Umberto I  
 

Assim que entramos na Via Cesare Sersale, vimos um aglomerado de gente na frente da pizzaria. Perguntamos para algumas pessoas como funcionava e nos disseram que tínhamos que entrar para o pegar o número. Nosso número era 78, e ainda estavam chamando o 50, já saquei que a coisa iria ser meio longa e, realmente foi, ficamos lá em pé por uma hora e meia. A fome já estava gritandoooo!

Resolvi sentar num degrau da entrada de uma loja que estava fechada ao lado da pizzaria, após 5 minutos, adivinhe quem sentou do meu lado? Uma brasileira! Foi muito legal, estavam em 4, eram 2 rapazes que estudam em Roma e 2 garotas que estudam em Portugal, todos fazendo curso de arquitetura. São amigos do Brasil que se encontraram em Roma e decidiram dar um rolê pela Itália. É’ sempre gostoso encontrar brasileiros nessas viagens da vida, já rola logo um papo baum, tudo desenrola sem grandes problemas.

Thiago, Luiza, Bruna, Damares e Diogo

Finalmente entramos na pizzaria, que é um pequeno restaurante (parece quase um buteco), a cozinha é aberta, proporcionando ao cliente a visão total do desenvolvimento do trabalho e da limpeza. Tivemos sorte, porque não abrem de domingo, mas somente próximo ao natal, e ontem foi o primeiro domingo aberto até dia 25/12.

Pizzaria do Michele
 

A pizzaria existe desde 1870, serve apenas dois tipos de pizza, a margarida e a marinara. Pessoas famosas como Maradona e Julia Roberts já passaram também por aqui.

 

A pizza chegou rápido, e foi também rápida nossa permanência lá dentro, porque tem uma grande fila fora, então é comer e sair. Pedimos a margarida com dupla mozzarela, era enorme, mas bem fina com os bordos altos, é a característica da pizza napolitana. Consegui comer toda, mas não comí mais nada,  só vou conseguir colocar alguma coisa no estômago no café da manhã de amanhã. Como se diz no Brasil: comí tanto que fiquei até triste.

 

Posso só confirmar a fama da pizza, realmente deliciosa, a mozzarela então, nem se fala. E o preço? Fantástico, 14 euro mais 1 euro de gorjeta, porque eles não cobram o serviço, ai fica a seu critério se dar ou não.

Nosso passeio na cidade chegou ao fnal, mas poderia durar mais se não tívessemos que seguir pra outro destino e se fosse verão, porque de maio até setembro, dá para passear na Europa até as 2oh30/21h30.

Voltamos para o ponto de ônibus em direção ao aeroporto, pois ainda tínhamos que ir para outra cidade. Voltamos pela rua do porto, mas não tinha nada de interessante, então decidimos voltar pelo Corso Umberto I. Deixo aqui uma foto do famoso Vesúvio (tinha um pouco de neblina, infelizmente a foto não ficou nítida) e do Porto de Nápoles “Molo Beverello”.

Agora preciso dormir, amanhã me espera mais um dia bem cheio. Até amanhã. Abraços.

Porto de Napoles                                                                      Vesúvio
 

Veja também:
Como visitar Pompéia
Roteiro de viagem aos arredores de Roma
Viagem enogastronômica perto de roma

Organize sua viagem para Itália visitando os links abaixo (os links abaixo são de parceiros comerciais do blog)
Reserve seu hotel com o booking.com
Viajando de carro, alugue com Rentalcars

Damares está dentro do mundo de viagens desde 1987. Morou em Milão de 1990 a 2014, quando se transferiu para cidade de Colônia, na Alemanha. No momento vive na linda região de Lisboa, pertinho do mar! Aproveita sempre da facilidade de viajar pela Europa, conhecendo vários países nesse maravilhoso continente!

contato1@keviagem.com

Comentários
  • Damares Lombardo

    Estou encantada com essas fotos lindas, e a pizza……hummmm

    22 de novembro de 2011
  • Damares Lombardo

    Damares, estava lendo teu roteiro super interessada, pois só terei um dia em Nápoles…e não é que olho uma foto sua enquanto aguardava na pizzaria e vejo o Tiago!!!Foi engraçado..meu colega arquiteto…esse viajou bastante!!!
    Obrigada pelas dicas!!!

    30 de abril de 2012
  • Damares Lombardo

    Estou amaaaando esse blog, vc esteve em vários destinos em que passarei em outubro!!
    Vi pelas fotos que vc passou pertinho do porto, onde ficam os navios de cruzeiro, tem como ir da pizzeria da Michele até o porto a pé? Não é muito longe?
    Obrigada!

    6 de agosto de 2012
  • Damares Lombardo

    Olá! Partindo de Roma de trem é tranquilo de fazer esse roteiro??

    2 de novembro de 2015
  • Damares Lombardo

    Ciao Damares!
    Como sempre, estou aqui me guiando por você!
    Uma delicia consultar tuas dicas e viajar com mais segurança.
    Falando em segurança, eu e meu marido vamos para a Sicília em julho e ficaremos uma noite em Nápoles, vamos chegar ao aeroporto dia 21/07 às 16:30 e retornar dia 22/07 às 15:30.
    Que nos recomenda fazer neste curto espaço de tempo?
    Também estou com dúvida entre dois hotéis (Exe Majestic em Chiaia ou Convento II no Quartier Spanholo).
    Qual vc ficaria? Será mesmo que Nápoles é tão insegura quanto dizem?
    Obrigada desde já.
    Abraços.

    1 de março de 2017

Deixe Um Comentário